sexta-feira, novembro 24, 2006

Terminâncias.

- Claro que eu ainda tenho espaço para amigos... Para todos!
- Sim, para todos, claro, para todos, obviamente, para todos. Para todos quais, idiota? Que amigos?
- Aqueles, aqueles, aqueles!
- Nem sequer esses, nem sequer estes? Deve ser triste ter amigos tão distantes assim.
- Olha, ...
- Sim?
- Não me enche o saco, por favor.
- Agora está limitando os seus tais amigos de simplesmente encherem o seu saco, é? Prefere logo que eu não fale porra nenhuma, né?
- Me deixe em paz...
- É isso, então? ... Opa, ô chêimpion, traz uma gelada! ... Olha, sr. "eu não preciso de mais ninguém", é melhor você mudar de atitude logo, que tá enchendo o MEU saco.
- Cale a boca.
- E essa arrogância toda não vale pra nada, nada mesmo.
- Cale a boca, sério.
- Guilherme, olh'aqui, pára com isso e olh'aqui: eu queria mesmo te ajudar, beleza? Eu tentei te avisar antes, eu tento te avisar agora, eu talvez tente um pouco depois, mas mais do que isso, não dá. Tua vida se fechou, irmão.
- Foda-se.
- Tá vendo?
- Não, não estou. Eu estou aqui sentado com você, numa boa, e ocê me vem falar que eu não tenho mais espaço/tempo/o caralho a quatro pros meus amigos?
- Aí, oh. Cadê a paciência?
- Ricardo... Olha, Ricardo. Olha. Ah, vai à merda.

Guilherme se levantou sem beber seu último gole e sem esperar a nova bebida que chegava. Na verdade, saiu sem beber absolutamente nada.

E, na verdade, nem saiu de casa, antes de tudo.

A discussão não valeria a pena.

6 comentários:

  1. - Quero te bejá!
    - Quêêêê?
    - Isso mesmo que você entendeu - insistiu.
    Fez-se silêncio, então ele viu que ela não ia falar:
    - Eu te adoro - e blá blá blá.
    - Mas como eu posso acreditar em você depois de todas as sua cachorradas com aquela outra?
    - É porque você eu quero de verdade!
    Silencio, novamente.
    - Eu juro!
    Mais silêncio.
    - Tá, e se eu disser que não sou eu?
    - Ahm? Como eu posso acreditar em você?
    - Não sou eu, eu sou um amigo 'dele'.
    - Olha, eu.. eu tô saindo. Tchau.
    E poucos minutos depois:
    - Nããããão! Ferrô como eu faço pra você acreditar em mim?

    ResponderExcluir
  2. e à propósito, essas não estavam bebendo; uma já havia bebido e a outra nunca bebeu e provavelmente nunca beberá.

    ResponderExcluir
  3. Eu estou com vontade de criar a "Coletânea de Fracassos Humanos em Diálogos Interessantes"!

    ResponderExcluir
  4. posso participar, rick-raque-ricardo?

    ResponderExcluir