sábado, setembro 22, 2007

Indícios.

Tenho certeza que já tiveram essa idéia antes, mas achei que era bom tentar e testar e ver no que dá. A minha proposta original e verdadeira era algo muito mais amplo e não-linear que esse texto, mas foi o que deu pra fazer com o meu tempo e a minha cabeça - que doeu muito montando isso tudo.

Bem, o fruto de um bocado de trabalho, o filho plebeu, mas primogênito:

Indícios.


Os comentários ficam por aqui.

17 comentários:

  1. Lindo.

    Quero dizer, é essa sua coisa com o experimental. Se não fosse, xingaria:

    "É uma história perfeita, é uma narrativa brilhante, é um jogo infinito, é um desafio gratificante. Mas por que você acha que a gente é obrigado a chafurdar pra TE dar ibope?"

    Pois é, mas é justamente isso - o fato de que você escreveu e foda-se quem vai ler - que deixa ainda mais bonito. Li o "fim" muito antes da metade. Reli diversos trechos e cada vez me pareciam mais interessantes. Apesar de você mesmo, de certa forma, se criticar, acho que você conseguiu atingir perfeitamente a proposta.

    Córtex.

    ResponderExcluir
  2. Fantástico! Um texto dividido em textos. Uma estrutura não linear e - cá entre nós - se Alencar pudesse fazer algo assim, Iracema não passaria de umas 20 páginas. =P

    ResponderExcluir
  3. Ao menos para mim comentaram.

    Mas a falta de "registro histórico" realmente parece desmerecer a "coisa" ;D

    ResponderExcluir
  4. N�o me parece muito com voc� acho.
    N�o gostei

    ResponderExcluir
  5. Ah é, eu posso comentar?

    Pois sim, tá muito bom. Como eu te disse, me lembra aqueles jogos de RPG de livro que eu me amarrava :D

    Apesar de ter dado trabalho, espero que faça outro, haha xD

    ResponderExcluir
  6. Hacky, não é que desmereça. Claro que não, a "coisa" é boa por si só.

    Só que eu gosto de ler os comentários das outras pessoas, e fiquei triste que não tinha nada.

    Capicce?

    ResponderExcluir
  7. Eu não estou com paciencia neste momento para, literalmente, navegar pelo seu texto que parece bastante interessante.

    Idéia bem legal. E que tem a sua cara, sim.

    ResponderExcluir
  8. porra, isso seria demais se fosse melhor! faz direito, hem.

    ResponderExcluir
  9. Cortazar te inspirou? Só ouvi falar do livro Rayuela dele. Mas acho que é algo assim, não-linear, não?

    Adoro o jeito que você escreve (narra) e realmente, muito interessante e criativo o texto? Ou isso teria outro nome?
    :)

    ResponderExcluir
  10. Ricardo, você me dá gana de escrever

    A proposta é muito boa (o que me deixou bem confuso, confesso) e sou fã da maneira que você conduz o leitor

    =)

    ResponderExcluir
  11. Roubei sua idéia e fiz um parecido — só que uma carta.
    Não ficou tão boa, ficou bem mais linear, mas acho que cumpriu sua função (e isso não vem ao caso).
    O seu texto, voltando ao assunto principal, ficou muito bem feito. Choca mais por ser o que é que pela própria história (sem desmerecê-la, é interessante), mas conseguir fazer algo assim é brilhante.
    Parabéns pela criatividade, obrigado pela inspiração e me desculpe pelo plágio.
    Boa inspiração nos próximos, caso queira fazer algum outro; dou força. Apenas trabalhe mais para fazer uma história maior e menos linear, como você mesmo disse, e terá uma obra-prima.

    ResponderExcluir
  12. Dirigeis vossas preces ao céus e tereis Obras Primas!









    (adoro comentar os comentários... AYOOO montevidéo!)

    ResponderExcluir