domingo, abril 05, 2009

MENTIROSO É QUEM MORRE (um pouco de literatura, então).

Era óbvio que aconteceria, afinal de contas era o espaço dele e não o meu, aquele corredor todo dia recebia seus pés e os meus — ao menos eu tentava — sempre o evitavam. Esqueci, não me preparei... dei de cara.
Ao que me consta, era ele que dizia que nada havia acontecido entre nós, o que são um ano e meio? (o que é um ano e meio.), como ele poderia ter me traído se nós nunca Nem me conhecia direito, eu só fui um caso (eu fui o caso) e agora, há quanto tempo, não é mesmo (não é mesmo)?
Ele olhou pra mim, não é?, e havia nada em seus olhos, porque, acho que ele se assustou um pouco, mas eu, não estava preparada, eu achava que não seria nada, porque, afinal de contas, aquele corredor todo dia, e ele dizia que não, antes, e há tanto tempo sem nada, afinal, ao que me consta, ele que me evitava — ao menos eu tentava — era óbvio que aconteceria, seus pés e os meus, eu não fiz nada, eu apenas, eu achava, não seria nada pra mim, porque não havia mais raiva, amor, paixão, ódio, saudade, beijos, e nada.
Matar, matar, matar... ou uma taça de sorvete (se ao menos eu pudesse).

9 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Tem uma música que eu gosto e que diz: 'seus olhos querem fugir de mim, mas o mundo é tão pequeno, fatalmente vai me ver passar'.

    ResponderExcluir
  3. Eu acho muito legal quando homens conseguem soar como mulheres. É muito melhor do que quando mulheres fazem isso. É que nem aquele outro da menina que mija na cama.

    ResponderExcluir
  4. Na verdade, tem mais semelhanças com aquele texto da menina que faz xixi na privada. A forma, principalmente, enfim.

    ResponderExcluir