sexta-feira, dezembro 14, 2007

Naturalismo.

Quando acordou, o dinossauro ainda estava lá. Bafo quente no cangote, daqueles que gelam a alma, que quer fugir num só instante, além do fedor de coisa apodrecida saindo daquela bocarra escancarada às costas do homem. Não havia nada a fazer, o que já foi já foi, agora só lhe restava chutar aquela puta velha pra fora de sua cama.

3 comentários:

  1. Hahahaha

    Boa interpretação para o conto. Mas gosto mais de uma visão mais óbvia e surreal da coisa.

    ResponderExcluir